METASmorfose

O vento não ajuda o velejador que não sabe onde quer chegar.

kite_mar
O ano novo chega cheio de promessas. O desafio a partir de agora é agir diariamente. Mas antes de nos aprofundarmos no assunto, vamos rever as suas metas pro ano novo.

Não as têm?! Pois trate de defini-las.

Aproveite as energias do ano novo e mãos à obra. Já ouvi dizer que basta você dizer ao universo os seus desejos e deixar que ele se encarregue de realizá-los.

Discordo. As verdadeiras mudanças acontecem conscientemente. Alinhando pensamento, palavra e ação. E pra que isso aconteça é preciso um esforço constante para direcionar nosso foco e atenção na auto-observação.

Investigue-se. Você pode desejar muito que algo aconteça, mas se existe algo em você que se nega, esta parte, por menor que seja, pode inconscientemente te sabotar e tirar do caminho.

Vá atrás dos nãos que te impedem de avançar em direção às suas metas. Esta é a primeira dica: se estiver muito difícil, investigue seus nãos.

Não responsabilize nada nem ninguém. Assim você estará se movendo a favor dos seus objetivos de forma consciente e madura.

A segunda dica é: pense em uma estratégia.  Não tente fazer tudo de uma só vez, forçando seus próprios limites. As vezes é preciso realizar austeridades, mas nunca sacrifícios. ‘Se não é divertido, não é sustentável.’ Estabeleça objetivos viáveis.

Se falhar, não desanime. Não se puna ou se castigue. Seja gentil consigo mesmo. Tenha paciência e volte para o primeiro passo: a auto-investigação. Alinhados com os sim’s é que nos tornamos livres pra fazer escolhas. Lembre-se de que o que perdura na nossa vida é porque, em algum nível, nós desejamos – conscientemente ou não.

A terceira dica é o monitoramento. Escreva um diário, ou crie o hábito de observar-se diariamente. Seja flexível, caso precise mudar a estratégia. Comemore os progressos, os resultados positivos e as pequenas vitórias! Esse reforço positivo tem um efeito poderoso no cérebro – nos dá mais ânimo pra seguir em frente e repetir as experiências de sucesso.

A quarta e última dica é: não atribua a sua felicidade aquilo que você faz ou deixa de fazer. Condicionar sua felicidade a algo externo inevitavelmente, em algum momento, te trará sofrimento. O mais importante e o melhor que podemos fazer é nos mantermos emocionalmente equilibrados e firmados na presença, no aqui e agora, no centro do nosso ser.

Fazemos isso ao fortalecermos nosso observador interno: através da prática do silêncio, da respiração, da meditação, da harmonização da bionergia, do contato com a natureza.

Lembre-se de que tudo está sempre na mais perfeita ordem. Tudo acontece por um motivo e, ao entender os porque’s, nos libertamos do ciclo repetitivo para criarmos algo novo.

Feliz ano novo!

Comments are closed.